Clube da Jardinagem

Por: Amanda Cruz

Falar com as plantas? Borboletas gostam de ervas daninha? Tomates doces com bicarbonato de sódio? Sim, o seu jardim pode ser bem misterioso e cheio de surpresas. Abaixo, desvendamos oito delas 1. Terra povoada Segundo um estudo feito pela Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, o número de microorganismos em uma única colher de chá de terra do que a população total do planeta. E, por mais que isso te dê arrepios, são esses seres microscópicos que enchem o solo de nutrientes e ajudam as plantas a crescerem. 2. Plantas respondem aos sons Não é coisa de maluco, conversar com as plantas pode afetar positivamente as suas espécies. Estudos mostraram que a vibração dos sons (como uma música ou a sua própria voz) podem influenciar o crescimento da planta.(..) Continuar lendo

Algumas das plantas ornamentais que temos em nossos em vasos ou jardins podem esconder perigo por trás de sua beleza. Elas são chamadas "plantas tóxicas" pois apresentam princípios ativos capazes de causarem graves intoxicações quando ingeridas ou irritações cutâneas quando tocadas. Segundo dados do Sinitox (Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas), cerca de 60% dos casos de intoxicação por plantas tóxicas no Brasil ocorrem com crianças menores de nove anos. E a maioria, 80% destes casos, são acidentais. O Sinitox, que fornece informações sobre os agentes tóxicos existentes, funciona em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz e possui centros de atendimento e informações em vários estados do Brasil (veja telefones no final desta matéria). Geralmente,(..) Continuar lendo

Por Suzana Camargo O estudo inédito Global Tree Search foi realizado pela Botanical Gardens Conservation International (BGCI na sigla em inglês), uma organização sem fins lucrativos, que compilou dados de sua rede de 500 jardins botânicos ao redor do mundo nos últimos dois anos. A pesquisa apurou números, nomes de espécies e a distribuição de árvores em seus respectivos países. Foram identificadas 60.065 árvores. E o Brasil aparece como o país com o maior número de espécies do mundo: 14% do total. Em seguida, estão Colômbia, com 5.776 espécies e Indonésia, com 5.142. Segundo o estudo, divulgado na publicação Journal of Sustainable Forestry, há no Brasil 8.715 árvores nativas e destas, 4.333 são endêmicas, ou seja, só são encontradas em nosso(..) Continuar lendo

Texto de Gabriela Pastro Às vezes é bem difícil sabermos de qual planta as pessoas estão falando sem saber seu nome científico. Uma erva que tem um determinado nome popular aqui em São Paulo, provavelmente, terá um outro nome no Sul, por isto saber o nome científico facilita muito. No Brasil, chamamos de erva-cidreira três plantas diferentes, porém esta confusão é gerada devido a possuírem algumas propriedades que conferem gosto, aroma e propriedades medicinais parecidas. Todas elas apresentam o citral, um componente do óleo essencial presente nas folhas, que imprime um forte aroma de limão e tem propriedades antimicrobiana, sedativa e relaxante. Quais as ervas costumamos chamar de erva-cidreira?

Capim-limão (Cymbopogon citratus):

(..) Continuar lendo

Por: Suzana Paquete

Se você está imaginando uma planta monstruosa, capaz de engolir uma pessoa, como nos desenhos animados, pode tirar isso da cabeça: esse tipo de coisa não existe. As maiores carnívoras de que se tem notícia são as trepadeiras da espécie Nephentes rajah, que dificilmente chegam a meio metro de altura e costumam devorar apenas moscas. Elas são típicas das úmidas florestas da ilha de Bornéu, na Ásia, e se alimentam por meio de um jarro pendurado na extremidade de suas folhas. Mas nem todas as plantas carnívoras atacam do mesmo jeito. O modo de captura varia de espécie para espécie – algumas sugam, outras prendem, mordem ou afogam suas vítimas. Certas carnívoras são bem gulosas: as Drosophyllum lusitanicum, por exemplo, conseguem grudar em seus pêlos vários insetos de uma só vez. Já as(..) Continuar lendo