Clube da Jardinagem

Por Raquel Patro

Foto: Zach Jarvis

Compor com vasos é sempre um desafio. Eles estão disponíveis em uma infinidade de formatos, cores, texturas e tamanhos. São tantas opções que fica difícil saber quais são as melhores escolhas para cada ambiente. E não é raro criar uma bagunça de vasos, como uma coleção desconexa, que não se integra ao jardim. Mas agora você tem ferramentas e não corre mais o risco de errar a mão! Aproveite estes nove segredinhos selecionados para compôr um jardim de vasos dos sonhos, para qualquer espaço. 1. Pense no conjunto de vasos como uma coisa só Como em uma escultura ou em uma pintura, os diferentes elementos fazem parte da mesma obra. Veja(..) Continuar lendo

Por: Mayra Rosa

Mesmo com a chegada do frio, é possível manter a casa florida e o jardim em ordem. A arquiteta e paisagista Lucia Manzano selecionou algumas espécies para enfeitar o interior e o exterior da casa. Veja todas as dicas abaixo.

No jardim

1. Amor-perfeito

É uma das espécies que gostam do clima mais frio. Além disso, ele é resistente à geada.

2. Azaleia

A Azaleia não necessita de sol direto, meia-sombra é suficiente. Sua floração acontece no inverno e no início da primavera.

3. Carmélias

Vermelhas,(..) Continuar lendo

Por: Eliane Nadalin Siebenrok

As dálias dos tempos das vovós estão de volta aos projetos de paisagismo (...).

A dália é muito popular no México. Os índios daquela região, ainda no Império Asteca, foram os primeiros a cultivar, pois se alimentavam de suas raízes tuberosas. Por volta do final do século XVII, o diretor do Jardim Botânico de Madri encantou-se com a flor, durante uma visita ao México. Foi o suficiente para que a dália atravessasse o oceano e chegasse à Europa, onde se adaptou muito bem ao clima temperado.

Foi o botânico sueco A. Dahl, responsável pela expansão das dálias pela região nórdica da Europa, que inspirou o nome da flor. Os holandeses e os franceses foram os maiores incentivadores do cultivo e da produção de inúmeras espécies híbridas. Tanto que foi principalmente(..) Continuar lendo

Por Raquel Patro As rosas são divididas em três grupos principais, sendo elas as rosas selvagens, que são as espécies de rosas naturais, as rosas antigas, que são as variedades e híbridos lançados antes de 1867 e as rosas modernas, que vieram depois de 1867 até a atualidade. Para efeitos práticos, dividimos as roseiras em 6 diferentes grupos, de acordo com as variedades disponíveis no Brasil. Escolha a sua favorita! Mini-rosas: As rosas em miniatura são a perfeição em pequena escala. Sua forma é semelhante a da rosa híbrida de chá. Elas alcançam cerca de 40 cm de altura e são excelentes para vasos e jardineiras, assim como para a formação de bordaduras e maciços baixos. São ótimas para jardins pequenos. Também prestam-se para adornar interiores por tempo limitado,(..) Continuar lendo

As bromélias são plantas muito rústicas que conferem um exotismo tropical inigualável, com suas cores vivas e formatos geométricos. No entanto, temos que nos atentar a alguns cuidados básicos para que elas possam desenvolver todo o seu potencial. Preste atenção às preciosas dicas abaixo para aperfeiçoar a forma de cuidar dessas raras jóias da natureza. 1. Ela não está doente! É bastante comum e desesperador aos iniciantes no cultivo de bromélias, observar suas plantas definharem aos poucos no instante seguinte a floração. Logo vem a mente pensamentos negativos, como: – O que foi que fiz de errado desta vez? Mas não se engane e aguente firme para não colocar sua planta no lixo. É perfeitamente normal a grande maioria das espécies de bromélia, esse fenecimento após a floração.(..) Continuar lendo