Clube da Jardinagem

Materiais usados na propagação das plantas

segunda, 02 de abril de 2018

Por: Karen D. C. Sprenger

Para propagarmos nossas plantas podemos utilizar sementes (propagação natural) ou partes da planta (propagação vegetativa).

(...) As sementes apresentam formas, tamanhos e dureza da casca diferentes de acordo com cada espécie. Algumas nem nos lembramos que são sementes, por exemplo, as sementes do chuchu, do côco ou do caju.

Mas, qualquer que seja o formato ou tamanho da semente, é importante lembrar que para a sua germinação é preciso temperatura e umidade adequadas.

Como produzir uma muda de chuchu (Sehium edule)

Escolha um fruto maduro e coloque-o em local fresco, ventilado e escuro por umas duas semanas para induzir o brotamento.

Quando o broto tiver mais ou menos 10 cm plante em uma cova com 10 cm de profundidade, deixando os brotos acima da superfície do solo.

A planta adulta é sensível à geada, então no inverno faça uma boa poda da parte aérea e proteja o pé da planta com algum tipo de palha. Na primavera ela irá rebrotar.

E lembre-se, as ramas do chuchuzeiro podem chegar a 15 metros. Plante em um caramanchão ou próximo a uma cerca onde possa se apoiar, desenvolver e frutificar.

Como germinar a semente do abacate (Persea americana)

Abra ao meio um abacate maduro, cuidando para não machucar o caroço.

Lave o caroço, retire a película que reveste e espete 3 a 4 palitos. Coloque em um vidro com água suficiente para encostar no caroço. Complete a água sempre que o nível baixar.

Após algumas semanas se formam as raízes e o caule e a sua muda está pronta para ser plantada em um vaso ou diretamente no solo.

Na propagação vegetativa podemos usar pedaços de caules, folhas ou raízes, que são chamados de estacas, além dos rebentos ou filhotes.

Uma boa estaca será obtida a partir de ramos adequados de plantas sadias e bem desenvolvidas.

No caso das azaléias (Rhododendron sp) use as brotações novas para preparar as estacas.

São raminhos bastante flexíveis que devem ser cortados com canivete ou tesoura de poda.

Retire as folhas até a metade da estaca e corte as folhas que sobraram pela metade.

Coloque para enraizar em um recipiente com areia ou substrato para sementeira.

Após dois a três meses já devem ter se formado as raízes. Coloque as mudas em recipientes individuais e deixe que cresçam um pouco antes de plantar no local definitivo.

As bananeiras, tanto ornamentais como as que produzem frutos comestíveis, são propagadas, em sua grande maioria, por via vegetativa.

O caule verdadeiro é o rizoma e a partir dele saem os brotos que são retirados e limpos, originando as mudas novas.

Retire as mudas com uma pá cortadeira bem afiada e limpa. Retire todas as raízes e partes danificadas e lave o rizoma em água corrente.

Plante as mudas em embalagens com areia ou no local definitivo.

Algumas plantas se propagam naturalmente pelas folhas.

Para aproveitar as mudas que se formam basta retirar a folha da planta-mãe e colocar em um vaso com substrato ou mesmo areia.

Não cubra a folha, apenas deixe encostada no substrato.

Quando as mudas estiverem estabelecidas leve para o local definitivo.

Para propagar o alho (Allium sativum) desmanche uma cabeça e plante cada dente individualmente.

Afofe bem o terreno até uns 20 cm de profundidade e faça sulcos ou covas individuais com uma profundidade de uns 5 cm, distribua os dentes e cubra com terra.

Se os dentes estiverem brotados deixe a ponta do broto para fora da terra.

A tradição cabocla recomenda que se faça o plantio do alho e da cebola no Sábado de Aleluia!

Para ajudar a natureza podemos usar alguns artifícios e tomar alguns cuidados:

Deixe de molho em água fria ou morna durante a noite anterior ao plantio as sementes de beterraba, espinafre e bracatinga.

Misture as sementes muito pequenas, como amor-perfeito, papoula e eucalipto, com areia fina e semeie a mistura. Use também para cenoura e rúcula.

Cenoura, salsinha, rúcula, rabanete, camomila e o pinheiro do Paraná (Araucária) devem ser semeados em local definitivo.

Escolha sempre plantas sadias e bem desenvolvidas para coletar sementes ou estacas.

Deixe algumas plantas no jardim e na horta para a produção de sementes. Colha as sementes quando estiverem maduras e guarde em embalagens adequadas, em local arejado fresco e escuro.

E lembre-se que as sementes na gaveta não produzem, então plante para poder colher!

Os melhores ramos para fazer estacas são jovens e que ainda não floresceram.

O melhor substrato para enraizamento de estacas em geral é a areia. Mantenha-a sempre úmida e coloque os recipientes em local arejado e bem iluminado sem sol direto. Para sementeiras use sempre um bom substrato comercial.

Fonte: Revista O Regador. Ano 9. Ed. 33. CEJARTE. Pg. 14-17