Clube da Jardinagem

A organização não-governamental Iniciativa Verde calcula que cada cidadão libera, em média, 2,07 toneladas de gás carbônico ou dióxido de carbono na atmosfera por mês. No site da ONG, www.thegreeninitiative.com, é possível calcular a emissão individual dos gases que causam o efeito estufa e a quantidade de árvores que cada pessoa deveria plantar para neutralizar isso. O cálculo leva em consideração o consumo de energia elétrica, de gás de cozinha e o tipo de transporte utilizado. Em relação ao consumo de energia elétrica, a ONG considera que o consumo médio por pessoa é de 100 KWh/mês, o que gera uma emissão de 0,32 tonelada de CO2. Por ano, a emissão passa(..) Continuar lendo

As emissões dos gases do efeito estufa colocam o mundo em risco e causam as mudanças climáticas que afetam toda a fauna e flora do planeta, além de gerar eventos de secas e chuvas mais drásticos. Mas você sabe quais são os setores econômicos que mais geram esses gases? Se você pensou na indústria, pense de novo.

No ranking mundial de atividades econômicas que produzem os gases do efeito estufa, a eletricidade e o aquecimento são os campeões. A queima de carvão, gás natural e petróleo para gerar eletricidade ou aquecer representam 25% das emissões de todo o mundo. É o seu banho, a geladeira, o wi-fi. Para gerar eletricidade, os países costumam usar termoelétricas. No Brasil, inclusive, o aumento do uso dessas usinas fez nossas emissões ficarem estáveis em 2014.

Em segundo lugar no pódio estão a agricultura,(..) Continuar lendo

Por Raquel Patro

As pessoas que vivem em centros urbanos e industriais no mundo todo sofrem com a alta concentração de poluentes no ar. É o convívio diário com a fumaça dos carros, das fábricas, das chaminés e até vapores tóxicos de salões de beleza. Isso sem contar os inúmeros produtos que são utilizados dentro de casa e no jardim, para limpeza ou manutenção, como sprays de perfumes e inseticidas, produtos para limpeza dos pisos, vapores voláteis de colas, tintas e solventes, etc. Se você parar para analisar, as fontes de poluentes do ar são inúmeras. E eles estão aí, agredindo seus pulmões, sua mucosas e sua pele diariamente e podem ser os culpados por aquela rinite que não passa nunca, entre outros problemas. Mas não precisamos ficar parados, sem fazer nada. Podemos lançar mão(..) Continuar lendo

Poluição em ambiente interno pode ser mais grave que do ar externo O que uma nave espacial, uma casa e uma empresa têm em comum? A resposta é a existência de várias substâncias voláteis químicas capazes de fazer com que o ar que se respira nesses ambientes seja até dez vezes mais poluído do que o ar externo. Especialistas afirmam que nesses locais há uma forte concentração de elementos altamente poluentes, o que pode ser a causa de alergias e asma, entre outras patologias mais graves. O engenheiro ambiental Bill Wolverton, ex-pesquisador da Nasa, e autor do livro "Plants: how they contribute to human health and well-being" ("Plantas, como elas contribuem para a saúde e o bem-estar"), explica que, durante as missões da base espacial Skylab, mais de 100 tipos de substâncias poluidoras(..) Continuar lendo

Em dias mais poluídos, uma pessoa tem 33% a mais de chance de sofrer um infarto. Levantamento feito na cidade de São Paulo revela que pelo menos 12% das mortes envolvendo idosos acontecem em decorrência dos altos níveis de poluentes emitidos principalmente pelos veículos existentes na cidade. Além de causar doenças cardiovasculares (infarto e arritmia) e respiratórias (asma e pneumonia), a poluição ainda é vista como um verdadeiro veneno para gestantes e bebês. Já está comprovado que altos níveis de poluentes podem contribuir para a prematuridade da criança e seu baixo peso ao nascer. E o que isso tem a ver com a planta popularmente conhecida como "coração-roxo"? É que o Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental da Universidade de São Paulo (LPAE/USP)(..) Continuar lendo