Clube da Jardinagem

Adubo orgânico: conheça os principais tipos e como utilizá-los

quarta, 12 de agosto de 2020

O adubo orgânico é um insumo muito utilizado na agricultura, principalmente por quem prefere usar apenas produtos naturais em sua horta, como ocorre na produção de alimentos orgânicos. Mas você sabia que existem vários tipos desse fertilizante? Neste artigo, nós vamos falar sobre os principais e ainda abordar alguns cuidados importantes ao utilizá-los. Confira!

Os principais tipos de adubo orgânico

Para fazer adubo orgânico, você precisa de uma fonte de matéria orgânica, ou seja, de produtos cuja decomposição vai formar uma mistura rica em nutrientes, ideal para fertilizar o solo. Existem várias opções de matérias orgânicas que podem ser utilizadas para o preparo desse tipo de adubo. Veja as principais:

Esterco de animais herbívoros: também chamado de estrume, o esterco de gado, ovelhas, cavalos e outros animais herbívoros é uma das matérias mais usadas para o preparo do adubo orgânico. Para fazê-lo, é preciso curtir os dejetos dos animais, juntando o material no chão e revirando-o a cada três dias, tendo cuidado para que o monte não fique muito úmido. Em cerca de um mês, o material estará pronto para ser usado na horta.

Compostagem: essa técnica é ideal para quem mora em apartamentos ou em terrenos pequenos, já que usa os restos de alimentos e materiais como grama e folhas secas para a produção de adubo. Nesse caso, é preciso utilizar as composteiras, caixas escuras que favorecem a decomposição dos materiais. A primeira caixa deve ser forrada com folhas e receber resíduos diariamente, que, por sua vez, precisam ser cobertos com folhas também. Na segunda, deve haver húmus e minhocas que ajudam no processo. Por fim, a última caixa é a que recebe o fertilizante líquido.

Minhocas: o húmus de minhoca é outra excelente opção de adubo, já que esses animais são capazes de formar um solo rico em nutrientes. Para produzir o fertilizante, é necessário fazer um viveiro com três partes, em que a primeira mistura as minhocas à terra e aos restos de alimentos e plantas, a segunda represa os compostos depositados pelas minhocas e a terceira armazena o chorume, que é o adubo líquido que escorre das outras duas caixas.

Grama: depois de cortar o gramado, você pode utilizar a grama cortada como cobertura morta para a sua horta ou jardim. É um tipo de adubo orgânico que não só é fonte de nutrientes importantes, como o nitrogênio, como também mantém a umidade do solo, diminuindo a necessidade de rega, e protege as plantas das baixas temperaturas, fungos, insetos e plantas daninhas. Para utilizar, basta distribuir a grama recém-cortada pelo canteiro.

Esses são os quatro principais tipos de adubo orgânico utilizados em hortas e jardins. Porém, existem outras opções, como os fertilizantes feitos com casca de ovo, borra de café, peixes, crustáceos, cinzas de madeira, entre outras matérias orgânicas. Ao escolher o melhor, verifique a disponibilidade dos produtos na sua região e a manutenção que cada um exige no dia a dia.

Os cuidados na utilização do adubo orgânico

Por serem produzidos com matérias orgânicas diferentes, os adubos também exigem alguns cuidados distintos, que podem demandar mais ou menos atenção. O adubo orgânico feito com folhas e grama, por exemplo, não requer muita manutenção: basta cortar o gramado, juntar os resíduos e jogá-los de forma homogênea na horta ou no jardim.

Já a compostagem e o húmus de minhoca requerem atenção diária, mesmo que pequena. Afinal, é preciso abastecer a composteira e o minhocário com resíduos todos os dias para que a compostagem funcione corretamente. Além disso, é preciso sempre observar se há mau cheiro, larvas, insetos ou outros problemas nos locais.

O mesmo vale para o adubo feito com esterco de animais, que também pode juntar insetos e larvas, principalmente se estiver muito úmido. Nesse caso, é preciso manter uma baixa umidade apenas para que a decomposição seja eficiente. Também é fundamental curtir bem o esterco, já que quando está em seu estado natural esse material pode acabar queimando as plantas.

 

Disponível em: Blog Bel Agro